Friday, 29 August 2008

O jogo continua

Blogar é assim. Eu li na coluna da Cora Rónai um trecho de um texto que fez um baita de um sentido pra mim; mas o trecho não é da Cora, é uma citação do blog da Fal. Quem é Fal? Então eu simplesmente colo o trecho e dou os créditos devidos às fontes. Blogar é assim. Aí vai o trecho do texto. Eu blogo e você, se quiser, comenta. PS - Ah, ainda tem a Vera. Vera?

"'Fal: Quando a gente escolhe não dizer a palavra mais dura, a gente amadureceu? Ou amoleceu? Tenho medo da resposta.

Vera: Fal querida, quando a gente escolhe não dizer a palavra mais dura não é nada disso de amadurecer ou amolecer. É porque a gente quer continuar o jogo. Sabe frescobol? Pro jogo continuar, vc tem que ajeitar a bola pro outro, se esforçar para alcançar a bola que veio, jogar pra cima pra dar tempo pro outro chegar, abaixar, esticar. Agora, se vc não quer continuar o jogo, vc dá logo uma raquetada e vai embora. Beijos para todos. Vera"
Mulher sábia, mulher superior. Obrigada, querida.´"
Fontes:
http://dropsdafal.blogbrasil.com/archives/2002_12.html
Coluna da Cora Rónai, 28 de agosto de 2008, Jornal O Globo, pg 10
Imagem:
Assista a umas partidinhas:
Links presenteados:

2 comments:

Nando Nazareth said...

Cara Isabella,
Eu também acho que este é o "espírito da coisa".
Eu visitei seu blog pela primeira vez há poucos dias, especificamente para ler o post sobre "O Rio que mora no mar". Foi um prazer ler os outros posts e participar da enquete. Foi fácil incluir seu blog nas minhas listas. Não são muitos os que eu destaco. São treze até agora, de uma coleção de cinco anos. São diferentes e não é muito fácil explicar os meus critérios, mas é
ótimo ver como o círculo se fecha quando você cita os blogs da Cora e da Fal, outros dois da minha listinha.
Parabéns pelo Good News.
Um abraço do
Nando

good news said...

Caro Nando,

Para mim também foi fácil incluir o seu blog na minha lista.

Também não procuro explicações. Simplesmente jogo minhas mãos para os céus e agradeço.

Suas palavras são muito gentis.

Um abraço,
Isabella