Monday, 20 October 2008

OWD, foi um prazer!

OneWebDay banner, One Web, One World, One Wish. Onewebday was founded by Susan Crawford, logo published on good news blog by Isabella LychowskiNavegando por aí, há alguns meses, fiquei sabendo da existência do OneWebDay, uma iniciativa sem fins lucrativos, criada por Susan Crawford, que busca fortalecer a Internet como um meio democrático de compartilhamento de informações.
Sobre o One Web Day, como tão bem o OWD se auto-define no seu website (no original em inglês):
OneWebDay is an Earth Day for the internet. The idea behind OneWebDay is to focus attention on a key internet value (this year, online participation in democracy), focus attention on local internet concerns (connectivity, censorship, individual skills), and create a global constituency that cares about protecting and defending the internet. So, think of OneWebDay as an environmental movement for the Internet ecosystem. It’s a platform for people to educate and activate others about issues that are important for the Internet’s future.
Me identifiquei com a proposta do OWD de cara e logo me vi com a mente "fervilhando" com algumas idéias que preferi que primeiro amadurecessem antes que as pudesse levar ao forno. Todo o processo foi bastante prazeroso. Contribuir de alguma maneira com o OWD Stories Contest me fez me sentir em "casa".
O verso do Gilberto Gil da canção Refazenda
"Amanhecerá tomate e anoitecerá mamão" esteve sempre presente, pairando, e é um boa definição de como tudo aconteceu, de como a Internet rola e, inevitavelmente, deu muitos panos para a manga. Opa, mais uma fruta!
tomate e mamão, no blog good news de Isabella Lychowski

E não é que os frutos realmente "amanheceram", ou despertaram ou amadureceram, cada um em seu tempo e na sua hora, e me trouxeram uma bela supresa? Fiquei bem classificada nesse "concurso de compartilhamento", que nos incentiva a debater nossas experiências e visões sobre o papel da Internet no mundo. Confesso que fiquei assim, hum, meio envergonhada e também feliz, é claro, mas é isso (não espalhem!). Foi um prazer.
Minha contribuição:

2 comments:

Nando Nazareth said...

Isabella,

Que lindo! Parabéns!

"Mais uma vez o mundo se curva"... rsrs...

Um beijo do

Nando

Anonymous said...

Li o texto, gostei muito, e arrisco a dizer: McLuhan (Marshall McLuhan) estava errado e só errou porque não conhecia a web.

A Aldeia nunca será global, ainda bem... a necessidade de viver,
sobreviver, transforma o ser humano em um camaleão de culturas e de realidades diversas.
Mas a teia (não gosto desta palavra pois esta é altamente complexa e geométrica), ou esta emaranhada e confusa produção e troca de informações chamada web, mostrou que por trás desta profusão de crenças religiosas, políticas, sociais e das diferentes formas de
produzir sua sobrevivência está um ser com as mesmas
necessidades básicas de viver e sentir, capaz de se emocionar com uma única história ou imagem produzida por uma realidade tão distante da sua.

Então Mcluhan global é o homem que, mesmo "isolado" na mais distante e diferente das aldeias, cria e consegue através de uma estrada virtual, se encontrar no "outro".

Pode ser confuso e a culpa é sua...você me inspirou às 02:20 da manhã.

Luciano Felipe