Tuesday, 21 April 2009

Abelhas nunca são poucas

"Hoje eu vi uma abelha viver e isto me basta para o resto da vida."
Antonin Artaud, citado por Nise da Silveira, citada por mim, lido por você!

=============================================

To make a prairie

To make a prairie it takes a clover and one bee,
One clover, and a bee.
And revery.
The revery alone will do,
If bees are few.

Emily Dickinson, 1755

=============================================

Para fazer uma pradaria

Para fazer uma pradaria toma-se um trevo e uma abelha,
Um trevo, e uma abelha, e devaneio.
O devaneio sozinho serve
Se abelhas são poucas.

Emily Dickinson, tradução de Werneck

=============================================

Abelhas nunca são poucas. Formigas não me mordem em Charitas. Adoro Emily Dickinson. E eu acho que usar blind copy (cópia oculta, ok, baby, você tem razão) em email é uma covardia. Gosto de transparência. O que é, é. Tenho vivido muito agora. Isso é uma grande descoberta. Abissal. Chove e hoje é hoje. Uh! Me divirto com panos para manga pelo avesso. Eles estão sendo sugados para dentro da minha simplicidade. Sou. Somos.

Há três anos tive um sonho. Um pássaro preto voava embaixo de mim. Nas alturas dos céus, me forçava a voar mais alto. Quanto esforço! Eu era um pássaro branco assustado, mas corajoso. Os arquétipos se embaralharam e me trouxeram kalyug. O pássaro não é mais branco. O pássaro é colorido.

bella em progresso, 21 de abril de 2009

=============================================

"Então meu propósito é me sentar no meu escritório pelos próximos 30 anos até me aposentar ou ser posto para fora?

Você não está no seu escritório agora, portanto esse não é seu propósito. Quando você se senta lá e faz qualquer coisa que seja, esse é o seu propósito. Não para os próximos 30 anos, mas naquele momento."

Eckhart Tolle em "Um novo mundo", pg 227

=============================================

Abelha voando em slow motion

It´s a new dawn and I´m feeling good

10 comments:

Hedwig said...

As palavras encantadas se atraem:

THERE IS ANOTHER SKY
Emily Dickinson

There is another sky,
Ever serene and fair,
And there is another sunshine,
Though it be darkness there;
Never mind faded forests, Austin,
Never mind silent fields -
Here is a little forest,
Whose leaf is ever green;
Here is a brighter garden,
Where not a frost has been;
In its unfading flowers
I hear the bright bee hum:
Prithee, my brother,
Into my garden come!

good news said...

Por supuesto! Encanto, encanto traz. bjos e gracias pela ilustre visita ao meu jardim. bella.

VENHA A MIM E SEJA QUALQUER COISA INCERTA
(Solange Menegale)

venha a mim e seja qualquer coisa incerta
uma pedra no escuro
a rigidez e a forma dando vida
ao que está latente,
permanecendo em absoluto,
uma pedra é uma pedra a todo instante
e a noite
que será sempre uma longa espera
desejará ardente um amor sombrio e indolente
venha a mim e seja qualquer coisa incerta
que se cumpra simplesmente

ToniLeo said...

Bella, como sempre excelente post!!!

Sobre E.D. e abelhas que tal:
"The Bee is not afraid of me.
I know the Butterfly.
The pretty people in the Woods
Receive me cordially-

The Brooks laugh lauder when I come-
The Breezes madder play;
Wherefore mine eye thy silver mists,
Wherefore, Oh Summer's Day?"

Ainda sobre E.D. e pequenos bichos voadores, tem um verso que eu adoro:
"And tho' I'm scarce accounted,
My Art, a Summer Day -had Patrons-
Once - it was a Queen -
And once - a Butterfly -"

Tudo de mt bom!

good news said...

Leandro, bingo, adorei! Está ficando rico e populoso o nosso jardim. :-)

I receive you cordially.

good news said...

The bee is not afraid of us!

Muito bom!

Erica Fernandes said...

Bella! Um jardim com abelhas e mesmo raposas não é completo se não podemos vivê-lo, no sentido eckhartiano da palavra! Isto é, trazendo-o para dentro de nós, haurindo de sua harmonia no agora em que o habitamos!!!

Não podia deixar de compartilhar um poema, que na verdade é uma canção da Nina Simone, e que sintetiza com enorme simplicidade o que seja vibrar no ritmo do universo e então descobrir a liberdade de um novo alvorecer:

Erica Fernandes said...

Birds flying high
you know how I feel
Sun in the sky
you know how I feel
Breeze driftin' on by
you know how I feel

It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good

Fish in the sea
you know how I feel
River running free
you know how I feel
Blossom on the tree
you know how I feel

Dragonfly out in the sun
you know what I mean,
don't you know
Butterflies all havin' fun
you know what I mean
Sleep in peace when day is done
That's what I mean

And this old world is a new world
And a bold world
For me

Stars when you shine
you know how I feel
Scent of the pine
you know how I feel
Oh FREEDOM is mine
And I know how I feel

And I'm feeling good.

Erica Fernandes said...

http://kalyugage.blogspot.com/2009/02/its-new-dawn.html

good news said...

Erica, querida, sim, sim! (Como diriam outras duas grandes amigas).

Assino embaixo, ouço Nina, vejo flores, abelhas e raposas. Reconheço-me neste novo mundo.

O jardim é sempre florido, belo, gentil. (Quando não o vemos assim, é porque, como você bem o diz, não estamos despertos o suficiente).

Pequenos animaizinhos, flores sutis, seres afáveis o habitam. Há sol e há chuva. As nuvens são passageiras.

We feel good (indeed).
It´s a new life.

:-)

(Post da época que ainda não havíamos nos (re)conhecido):
http://isabellalychowski.blogspot.com/2008/09/previso-de-tempo.html)

good news said...

Rumi - Diga: Eu sou Tu

Sou as partículas de pó à luz do sol,
sou o círculo polar.

Ao pó digo: - Não te movas.
E ao sol: - Segue girando.

Sou a névoa da manhã
e a brisa da tarde.

Sou o vento na copa das árvores
e as ondas contra o penhasco.

Sou o mastro, o leme, o timoneiro e a quilha
e o recife de coral em que naufragam as embarcações.

Sou a árvore em cujo galho tagarela o papagaio,
sou silêncio e pensamento, e também todas as vozes.

Sou o ar pleno que faz surgir a música da flauta,
a centelha da pedra, o brilho do metal.

Sou a vela acesa e a mariposa girando louca ao seu redor.
Sou a rosa e o rouxinol perdido em sua fragrância.

Sou todas as ordens de seres,
a galáxia girante,

A inteligência imutável,
O ímpeto e a deserção.

Sou o que é e o que não é.
Tu, que conheces Jelaluddin.

Tu, o Um em tudo, diz quem sou.
Diga: Eu sou Tu.

http://www.woolger.com.br/textos_poemas.htm

http://www.youtube.com/watch?v=QqVBGv2hpQ4